R7 - Clésio Andrade

Compartilhar           Orkut          

| 17/07/2013 - Atualizada em: domingo, 16 de outubro de 2016 10:07

​Entrevistados consideram importante que a população opine sobre os temas da reforma política

A
realização de um plebiscito para discutir a reforma política no País é aprovada por 67,9% dos brasileiros, segundo pesquisa da CNT (Confederação Nacional do Transporte). Para os entrevistados, a proposta é importante, pois vai permitir à população opinar sobre os temas da mudança do sistema político.

Entretanto, 26,1% dos brasileiros acreditam que a consulta popular é desnecessária, pois a reforma pode ocorrer mais rapidamente sem o plebiscito. O porcentual de quem não sabe ou não respondeu ficou em 6%. O plebiscito foi a principal resposta de Dilma para os gritos das ruas.

Em relação à vinda de médicos estrangeiros para o País, a população ainda está dividida. Questionados se são a favor ou contra a chegada de profissionais para atuar nas regiões mais pobres do Brasil, 49,7% aprovam a medida, enquanto 47,4% são contra. Outros 2,9% dos entrevistados não têm opinião formada sobre o assunto.

S
erviços públicos

A avaliação da qualidade dos serviços públicos continua em queda. Saúde lidera o ranking de insatisfação sendo considerada como ruim ou péssima para 58,7% da população, com 15,1% de aprovação. Já no caso da segurança pública, a desaprovação é de 46,1% pelos entrevistados e considerada boa ou ótima por 22,4% das pessoas.

O
transporte público é mal avaliado por 44,9% dos entrevistados, enquanto 26,9% acham que é satisfatório o serviço recebido. A qualidade da educação é mal vista por 40,1% das pessoas contra 25,7% de aprovação.

​​Segundo presidente da CNT, Clésio Andrade​ a avaliação desses itens pesa muito na popularidade do governante.   — Tirando a economia, que é uma situação específica, a qualidade dos serviços públicos afeta muito o desempenho do político.

Compartilhar           Orkut