Senador propõe menos enxofre no óleo diesel

Compartilhar           Orkut          

| 14/09/2011 - Atualizada em: segunda-feira, 17 de outubro de 2016 5:57

 

 
O Senador Clésio Andrade (PR-MG) apresentou nesta quarta-feira (14) um projeto de lei com o objetivo de reduzir, gradativamente, a quantidade de enxofre no óleo diesel. Segundo a proposição, a partir de 2015, o óleo diesel no Brasil poderá ter apenas 10 miligramas de enxofre por quilo (10mg/kg).

O Brasil consome anualmente 49,2 bilhões de litros de diesel, dos quais 33,9 bilhões de litros são para a movimentação de bens e pessoas. São dois os tipos de óleo diesel no Brasil: o diesel interior, com teor de 1.800 mg/kg de enxofre, e o diesel metropolitano, comercializado em um raio de até 40 Km dos grandes centros, com concentração de, no máximo, 500 mg/kg de enxofre.

Pelo projeto, já a partir de 2012 o limite passaria a ser de 500 miligramas de enxofre por quilo de diesel. Em 2013, de 100 mg/kg; em 2014, de 50 mg/kg, para finalmente, em 2015, chegar ao limite proposto de 10 miligramas por quilo.

“Dado o esforço global para a redução de poluentes e, tendo o Brasil se comprometido a reduzir suas emissões, é imprescindível que, similarmente ao que acontece em outros países, seja oferecido em todo o território nacional, a partir de 2015, o diesel com 10mg/Kg de enxofre”, argumenta Clésio Andrade.

Elemento químico indesejável para o meio ambiente, o enxofre contribui para a formação da chuva ácida, prejudica o desenvolvimento da agricultura e contamina solo e mananciais de água. Entre os prejuízos à saúde estão irritação do sistema respiratório, sensação de falta de ar e enfisema pulmonar.

Em países desenvolvidos, como Estados Unidos e Japão, os teores de enxofre encontrados no diesel possuem níveis muito mais baixos, de, espectivamente, 15 mg/kg e 10mg/kg.

Compartilhar           Orkut