O transporte na Copa

Compartilhar           Orkut          

Artigo | 30/08/2011 - Atualizada em: segunda-feira, 17 de outubro de 2016 19:12

Automotive Rhythms/Divulgação
Ônibus usado pela seleção brasileira na Copa do Mundo de 2010


* Por Clésio Andrade, senador e presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT).
 

O Brasil pode se orgulhar da qualidade do transporte que se faz por aqui. Entre os transportadores de todo o mundo, especialmente dos países mais desenvolvidos, há o reconhecimento da competência e criatividade dos transportadores nacionais, sobretudo quando se confrontam a infraestrutura de transporte nesses países com a disponível no Brasil.

Apesar de toda limitação com as rodovias malconservadas, portos, aeroportos, ferrovias e hidrovias sem infraestrutura capaz de atender as necessidades mais prementes de um transporte eficiente, os transportadores brasileiros se desdobram para realizar sua missão maior. E o fazem valendo-se de modernas tecnologias e logística criativa, mas contando, acima de tudo, com seu elevado espírito empreendedor e de uma determinação infatigável.

Antecipando-se ao desafio de oferecer um transporte de qualidade para atender as exigências dos maiores eventos esportivos do planeta, a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, os transportadores brasileiros, por meio de sua entidade superior de representação, a Confederação Nacional do Transporte (CNT), e de suas entidades de qualificação profissional e de promoção do bem-estar social, o Serviço Social do Transporte e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat), lançaram o programa O Transporte na Copa, com o objetivo específico de qualificar taxistas, motoristas de ônibus, agentes de bordo do transporte turístico, cobradores de ônibus, atendentes das empresas de táxi e locadoras de veículos para a prestação dos serviços com perfeição profissional.

O Transporte na Copa vai preparar, com curso e palestras, os profissionais do transporte que atuam na linha de frente na recepção dos visitantes nacionais e estrangeiros que se esperam para os eventos. O Sest Senat está viabilizando parcerias com os ministérios dos Transportes, Cidades, Saúde, Turismo, Esportes e outras entidades para a realização conjunta do projeto. Entre os vários assuntos abordados pelo programa, destacam-se: direção defensiva, primeiros socorros, mecânica, qualidade no atendimento e na prestação de serviços, pontos turísticos, enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes, conversão de moedas estrangeiras, inglês e espanhol instrumental, respeito ao meio ambiente.

Ainda como parte do programa, o projeto Taxista Nota 10 vai promover, no prazo de três anos, de forma mais aprofundada, a qualificação de 40 mil profissionais nos idiomas inglês e espanhol e outros 40 mil, com assessoria do Sebrae, em gestão de negócios.
Estimativas do Sest Senat apontam 399 mil trabalhadores em transporte como alvo do programa, nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil e em outras cidades turísticas brasileiras.

Mais uma vez, os transportadores brasileiros darão o exemplo de sua competência e determinação, contribuindo na preparação de um Brasil desenvolvido e próspero.

 

 

 

Compartilhar           Orkut