Piora estado geral de rodovias, aponta CNT

Compartilhar           Orkut          

| 24/10/2012 - Atualizada em: sábado, 15 de outubro de 2016 18:43

O senador e Presidente da Confederação Nacional do Transporte ​(CNT), Clésio Andrade, divulgou, nesta quarta-feira (24), os resultados da 16ª Pesquisa CNT de Rodovias, realizada pela instituição. Neste ano, foram pesquisados 95.707 km durante 37 dias, entre 25 de junho e 31 de julho. Estudo mostra piora no estado geral das rodovias.

De acordo com o total de quilômetros avaliados, 33,4% foram considerados em situação regular, 20,3%, ruim e 9%, péssima. Outros 27,4% estão em bom estado e 9,9% em ótimo. Se comparados com os dados da pesquisa de 2011, houve piora na qualidade das estradas nacionais. No ano passado, 57,4% foram classificadas como regulares, ruins ou péssimas, contra 62,7% este ano.

Na avaliação do presidente da CNT, senador Clésio Andrade, essa é uma questão que precisa ser solucionada com urgência. “A boa sinalização é fundamental para garantir a maior segurança dos motoristas e passageiros que trafegam pelas rodovias do Brasil. É muito importante investir fortemente para melhorar a sinalização e também para solucionar outros problemas constatados no pavimento e na geometria viária”, afirma.

A pesquisa, que avalia aspectos do pavimento, sinalização e geometria da via de 100% da malha federal pavimentada e das principais rodovias estaduais pavimentadas, traz informações que auxiliam no planejamento de transportadores, na formulação de planos de manutenção de rodovias e na elaboração de políticas públicas para o setor de transporte.

A CNT estima que a necessidade de investimento para a modernização da infraestrutura rodoviária no Brasil seja de cerca de R$ 170 bilhões, a serem aplicados na construção de novas rodovias e em obras de duplicação, pavimentação, recuperação, entre outras intervenções.



Compartilhar           Orkut