Caminhoneiros terão acesso gratuito à internet

Compartilhar           Orkut          

Clésio na mídia | 04/08/2011 - Atualizada em: terça-feira, 18 de outubro de 2016 13:30

Foto: Júlio Fernandes/CNT
Clésio Andrade e Newton Gibson

 

O presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), senador Clésio Andrade (PR-MG), anunciou nessa quarta-feira (3) um novo projeto para melhorar a vida dos caminhoneiros. A CNT e o Sest Senat pretendem disponibilizar entre 400 e 500 computadores por todo o país com o objetivo de aproximar o caminhoneiro de sua família e também facilitar bons negócios.
 
"É um projeto inovador, que sei que vai dar certo. Os computadores vão funcionar como uma espécie de lan house e ficarão à disposição dos caminhoneiros nas unidades do Sest Senat e em outros pontos. A gente sabe dos sacrifícios deles, não só de dirigir nas estradas com dificuldades, mas também por estar longe da família. Além disso, queremos contar com uma central de compras para oferecer produtos mais baratos, como pneus e peças”, explicou Clésio Andrade, durante a solenidade de abertura do XII Congresso Nacional Intermodal dos Transportadores de Cargas, realizado pela Associação Brasileira de Logística e Transporte de Carga (ABTC).
 
O evento, que teve início na noite dessa quarta-feira (3), em Belo Horizonte (MG), homenageou o presidente da CNT, concedendo-lhe o troféu “O Transportador”. Ele recebeu o prêmio das mãos do presidente da ABTC, Newton Gibson, que ressaltou a importância dos trabalhos realizados por Clésio Andrade. “É um reconhecimento por tudo de extraordinário que produziu e produz na sua atividade de transportador”, disse Gibson.
Emocionado, o senador mineiro enalteceu a importância do setor de transporte para o país, lembrando a visão de futuro que o ex-presidente da República Juscelino Kubitschek possuía em sua época. “Quando ele decidiu fazer 50 anos em cinco, JK colocou como principais focos a energia e o transporte, mas ainda temos pouco investimento nessa área. Só em rodovias, é preciso investir na duplicação de 13 mil km em todo o país e também em mais de 400 terminais multimodais”, reforçou.
 
Para Clésio Andrade, uma das saídas para melhorar a infraestrutura do setor é realizar Parcerias Público Privadas (PPPs). “Talvez seja a única solução. Se conseguirmos apoio com as PPPs, conseguiremos resolver os problemas rodoviários em menos de três anos”.
 
Até a próxima sexta-feira (5), o congresso da ABTC discutirá a crise econômica mundial, os gargalos do setor, a regulamentação da profissão de motorista e a implementação de políticas ambientais e da logística reversa nas empresas.
 
Entre outras personalidades, também participaram da abertura das atividades do congresso o presidente da Seção de Transporte de Cargas da CNT, Flávio Benatti; o presidente da Federação Nacional das Agências de Navegação Marítima (Fenamar), Glen Gordon Findlay; o presidente da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado de Minas Gerais (Fetram), Waldemar Araújo, e o presidente da Federação das Empresas de Transporte de Carga do Estado de Minas Gerais (Fetcemg), Vander Costa.

Aerton Guimarães, Agência CNT de Notícias

Compartilhar           Orkut