"PMDB não abre mão da disputa"

Compartilhar           Orkut          

Clipping - HOJE EM DIA | 16/10/2012 - Atualizada em: sábado, 15 de outubro de 2016 18:53

Carlos Rhienck

​Filiado há apenas oito meses ao PMDB, Clésio Andrade foi lançado, ontem, pré-candidato ao governo de Minas Gerais. Mesmo sem nunca ter recebido um voto direto a cargo eletivo, Clésio Andrade disse ao Hoje em Dia que vai iniciar as negociações com partidos em torno de uma aliança e não descartou concorrer contra o PT em 2014.

Presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT) desde 1994, o empresário foi eleito em 2002, pelo PFL vice-governador de Minas Gerais, ao lado de Aécio Neves. Concorreu ao Senado em 2006, já pelo PL como primeiro suplente de Eliseu Rezende (DEM), assumindo o cargo de senador em 2011.

O senhor já tinha expectativa de ser lançado ao governo de Minas quando se filiou ao PMDB?

Um partido desse porte precisa entrar na disputa para continuar crescendo. O PMDB tem as bandeiras que Minas precisa. Nos últimos 15 anos, o Estado perdeu R$ 20 bilhões em investimentos da União.

O senhor poderia sair candidato contra o PT em eventual disputa para o governo de Minas?

Acho que em primeiro lugar temos que levar a Executiva nacional que o PMDB mineiro precisa ter candidatura própria. E isso é independente da aliança nacional. Hoje não tenho como dizer isso.

Quais partidos o senhor vai procurar primeiro?

Vamos conversar com todos. Vai depender do processo nacional para ver como essas alianças podem se encaixar.

Chegou a hora do senador Aécio Neves (PSDB) disputar a Presidência da República?

Ele se saiu muito bem nestas eleições. Houve um equilíbrio entre Aécio, Lula e Dilma. Acho que ele sai fortalecido, mas Dilma já está fortalecida por ser presidente. Acho que há um equilíbrio de forças e ele tem muitas chances.

Qual sua avaliação sobre a presidente Dilma?

A presidente Dilma Rousseff tem feito um governo muito bom. Mas teve dificuldades. Entretanto, ela tem consciência disso e anunciou investimento de R$ 200 bilhões recentemente, recursos dos quais grande parte vem para Minas Gerais. 

Jornal Hoje em Dia 

Fonte: Hoje em Dia - Ana Flávia Gussen

Compartilhar           Orkut