Além de perigosa, BR-381 representa gargalo à economia de Minas

Compartilhar           Orkut          

Cobranças do interesse de Minas | 27/06/2012 - Atualizada em: segunda-feira, 17 de outubro de 2016 7:23

Pesquisa CNT de Rodovias 2011

 

 

Conhecida como a Rodovia da morte, a BR-381 recebeu mais uma vez o apoio do senador Clésio Andrade em busca da tão esperada duplicação. Com 1.181 quilômetros, a rodovia que liga os estados do Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo representa um gargalo à economia de Minas, além de ser um grande risco para quem é obrigado a trafegar por ela todos os dias.

Em ofício enviado ao ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, nesta quarta-feira (27), o parlamentar mineiro pede que, com urgência, seja realizada a obra de duplicação da rodovia, com atenção especial ao trecho que liga Belo Horizonte a Governador Valadares. “Além de evitar o grande número de ocorrências e salvaguardar a vida de milhares de mineiros, a duplicação da BR-381 vai fortalecer um dos maiores polos industriais do Estado”, afirma Clésio Andrade.

A obra de duplicação da BR-381 é uma das mais importantes do documento Fortalecimento de Minas no Cenário Nacional visando à recuperação da infraestrutura de transporte do estado. O documento, organizado pelo senador Clésio Andrade e com participação da bancada mineira de apoio ao Governo Dilma Rousseff, identifica as principais demandas de Minas para recuperar os investimentos e o espaço político perdido.

 

Compartilhar           Orkut